Por em , , , , , , , ,
0 0 Nenhum comentário

BATE-PAPO: Dj Gui Guerrero

Hoje ele é responsável pela trilha sonora das melhores festas privadas do país, já tocou mais de 15 horas sem parar e suas datas são disputadíssimas!

No começo deste ano ele já abriu sua agenda para 2019 pois os sábados de 2018 já estão praticamente esgotados.

A gente sabe que a música é a alma da festa, por isso convidamos o DJ Gui Guerrero para um bate-papo.

1. O que é necessário levar em consideração na hora de escolher o profissional para tocar no evento?

Ultimamente este tema se tornou recorrente nas conversas com os casais que me procuram. Meus sábados para 2018 já estão entrando na fase “sold out” e quando não tenho a data faço questão de dar aquela força pra achar
“O Profissional” para tocar na festa.
A dica que sempre dou é “o santo tem que bater”.
Um bom bate papo vai ajudar a sentir se o DJ, banda ou qualquer outra atração vai estar alinhado com a expectativa para o grande dia.

2. O local, a data e horário do casamento influenciam na trilha sonora?

Muito!
Gosto de personalizar todas as minhas apresentações de acordo com o perfil do casal.
Exemplo: Um casamento na praia ao entardecer pede uma trilha sonora de início da festa mais balearica, com vertentes mais acústicas. Diferente de um casamento em um Buffet de noite que podemos começar com uma linha mais contemporâneas ou até mesmo um new jazz.
Não é uma regra, mas sim demonstrações de como a gente pode deixar o casamento ainda mais estilizado.

3.   Quais são as principais escolhas da noiva para tocar na hora da entrada da festa?
Sempre oriento a buscar uma trilha bem “UP” que marcou a vida do casal ou que estão curtindo nos últimos tempos.
Sempre apresento algumas opções quando precisam.
Vai ser a música que toda a vez que tocar eles vão lembrar daquele momento.

4.   Em um casamento, aniversario, entre outros eventos, os contratantes enviam uma seleção de músicas que desejam que toque ou geralmente deixam por sua conta?
Gosto muito de papear.
Sempre antes do evento, marco uma reunião pra gente falar de música, saber o gosto, ouvir se já tiveram experiências boas e ruins em festas, tudo pra deixar o dia com a cara da pessoa ou do casal.
Alguns mandam listas de músicas, mas a maioria aproveitam o grande dia de acordo com o briefing que montamos juntos.

5.   Você aconselha os noivos na hora da escolha das músicas? Ou isso é algo que tem que ser decidido entre eles?
Sim.
Gosto de ser bem claro e ajuda-los com a minha experiência em festas.
A grande maioria casa pela primeira vez, ou seja, são marinheiros de primeira viagem, então sempre mostro a minha ótica de como tudo funciona, o que dá certo e o que pode não ser tão legal na parte musical da festa.

6.   Você toca todos os estilos de música ou os seus clientes te procuram por tocar um determinado?

Vou filosofar um pouco rs.
Eu acredito que cada ser humano é singular, por isso gosto de bater um bom papo com os clientes, mesmo os que me contrataram porque curtiram minha apresentação em alguma outra festa.
Ou seja, toco aquilo que o casal e os convidados gostam.
Ser DJ pra mim é a realização de um sonho de infância, por isso eu toco dançando rs.
Com o passar do tempo, fui aprendendo a traduzir o casal, aniversariante ou qualquer outro contratante em música.

7.   Qual a dica que você daria para seus contratantes no dia da festa?

Aproveitem a festa ao máximo porque passa rápido demais.
A adrenalina do dia é tamanha que faz tempo voar, por isso DIVIRTAM-SE!!!

Gostou? Para mais ideias e informações, fale conosco: contato@varietes.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *